Notícias
O que você precisa saber, com dados atuais, sobre o mercado imobiliário português
Notícias
Voltar \ Barcos e Flamingos no Estuário do Tejo

Barcos e Flamingos no Estuário do Tejo

14 jul 2021
Barcos e Flamingos no Estuário do Tejo
Seja em embarcações centenárias ou navios sofisticados, no rio que atravessa a capital há um mundo encantado de biodiversidade, habitat de várias aves e de coloridos flamingos
Lisboa sempre viveu para o Tejo, e o principal rio nacional é um dos principais atrativos da região, graças às múltiplas atividades passíveis de fazer na água. No Estuário do Tejo, habitat de centenas de espécies, não faltam atrativos para contemplar, ao longe, das margens, de binóculos nas mãos, ou em passeios em embarcações, algumas de outros tempos, outras modernas e amigas do ambiente, perfeitas para observar, em especial as aves que por ali passam ou nidificam, ou as que habitam entre os canaviais e a vasta flora que acompanha o curso do rio.

A partir de Vila Franca de Xira, é dentro de uma embarcação que se observa a melhor paisagem do rio. De proa redonda e duas velas, o barco varino “Liberdade”  faz a travessia entre as duas margens, em vários pontos da vila até à marina do Parque das Nações.Tagus Marina, projeto de turismo de natureza certificado, proporciona alojamento, mas também passeios no estuário do Tejo, incluindo a zona de Reserva Natural, com a singularidade de a partida se fazer em Lisboa, utilizando lanchas de propulsão elétrica, amigas do ambiente e ideais para observar e fotografar flamingos, garças-reais e corvos-marinhos, ao permitirem a aproximação às aves sem as perturbar.

Entre a Ponte Vasco da Gama e a Reserva Natural do Estuário do Tejo, sugere-se que suba a bordo de uma das mais emblemáticas e recordadas embarcações tradicionais do Tejo, o “Bote Leão”, regressado às navegações graças ao município de Alcochete. Embalado pelas águas do rio, tem a oportunidade de avistar a multiplicidade de aves do estuário, entre as quais, os elegantes flamingos, que se destacam pela plumagem em tons de rosa vivo. Existem vários horários e a participação nos passeios é feita mediante a aquisição de bilhete no posto de turismo. Para uma viagem sem sobressaltos, experimente a proposta de uma zona de intensa cultura ribeirinha, a Moita e as respetivas freguesias de Alhos Vedros e Sarilhos Pequenos. Suba a bordo do varino “O Boa Viagem” que parte regularmente do cais da Moita para passeios de duas horas, passando pelo Gaio e a ilha do Rato.


Fonte: Jornal Expresso
Foto de: Marshil Gudka em unsplash
Veja Também